Nota de corte do Prouni: como funciona?


Um programa criado pelo Governo Federal, o Prouni foi desenvolvido para distribuir bolsas de estudo integral ou parcial para estudantes de baixa renda, para que assim, possam cursar um ensino superior de qualidade e se especializarem em uma área, contribuindo cada vez mais para o desenvolvimento do país.
Para possuir a sua vaga no Prouni, o estudante precisa ter feito o Enem no ano anterior ou alguma das edições anterior, é por meio dessa nota que ele será avaliado e concorrer com os outros por uma vaga dentro de uma instituição privada.
Nesse caso, essa nota é super procurado pelos candidatos, conhecida comumente como nota de corte. É ela que determina quais são os cursos mais concorridos, aqueles que são mais "fáceis" de passar e aqueles que estão no nível intermediário.
Como por exemplo, os cursos que possuem as notas de corte mais altas, costumam sempre ser: medicina, engenharias no geral, direito e veterinária. Ou seja, se você quer estar dentro de um desses cursos, será preciso estudar muito e realmente se dedicar.

Para que serve essa nota de corte?


É essa nota de corte, conhecida como a nota mínima necessária para que você esteja dentro do curso desejado, caso contrário, nem adianta ficar na esperança de estar dentro daquela instituição.
Ela serve para nivelar os estudantes que ficarão com as vagas disponíveis, eliminando aqueles que possuem notas menores. Ou seja, somente os melhores irão conseguir essas vagas nas instituições por meio do Prouni.

Qual é a nota mínima do Prouni?

A nota mínima para que você esteja concorrendo com os demais candidatos é de 450 pontos na prova do Enem, além de que é preciso não ter tirado zero na redação. Caso não esteja dentro desses pré requisitos, você estará automaticamente eliminado da concorrência do Prouni.
Quanto maior for a sua nota dentro do Enem, maiores são as suas chances de conseguir a sua vaga tão desejada, por isso, estude o máximo possível.

Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário