Como funcionam as casas de câmbio - Dica para trocar real por dólar e vice-versa

Algumas casas de câmbio estão pedindo um comprovante de extração de fundos do banco (para os pesos com os quais se quer comprar os dólares) de uma caixa de poupança ou conta-corrente, com a confirmação do pagamento do imposto do cheque. Outras pedem recibo de salário e só vendem até 70% do salário total, a pessoa que quiser comprar os bilhetes.

Em junho do ano passado, o Banco Central aprovou uma legislação que obriga os agentes de câmbios a verificar que as compras que ultrapassem os US$ 250.000 por ano, os valores operados "sejam compatíveis com a declaração de Ganhos ou Bens Pessoais do comprador, ou o saldo (se for uma empresa), ou que possam ser justificados por fatos ou rendimentos posteriores que possam ser devidamente constatados", como a cobrança de uma indenização ou uma herança.

Desde então se exige aos bancos e agências de câmbio, que, no caso de operações que ultrapassem os US$ 20.000 mensais, os pesos destinados à compra de moeda estrangeira proveniente de uma conta bancária do cliente, de forma a ter absolutamente comprovado que se trata de dinheiro declarado.


Porque eu vejo linhas finas de pessoas na casa de câmbio do micro constantemente?


Os motivos da grande afluência de público podem ser vários: desde a desconfiança na moeda local até a proximidade das eleições.

Mas também influencia um "negócio" que fazem alguns "árvores" ao pagar a outras pessoas para que coloque o seu documento para comprar dólares em casas de câmbio autorizadas e vendê-los depois em "cavernas", ganhando um diferencial de até 25 centavos por unidade.
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário